jusbrasil.com.br
7 de Abril de 2020

Como o Google sabe que você escreveu um bom artigo jurídico?

Por que usar técnicas de escrita e SEO podem fazer o seu texto aparecer em destaque no Google.

Comunidade Jusbrasil
Publicado por Comunidade Jusbrasil
há 4 meses

Por Matheus Galvão

A melhor coisa que alguém pode fazer quando escreve é organizar ideias com clareza e objetividade. Uma boa escrita deixa a mente em paz, tanto a de quem escreve, quanto a de quem lê.

Além disso, em tempos de publicações virtuais, organizar as ideias é uma ótima forma de ser destacado pelos mecanismos de busca, como o Google.

O Google quer um texto útil

O Google quer ser uma máquina de fornecer respostas úteis e para isso precisa de informações relevantes e objetivas de outros conteúdos.

Por exemplo, quando você pergunta quem ganhou o Oscar de melhor atriz em 2019, ele te dá uma resposta direta:

A mesma coisa acontece quando alguém pergunta "como fazer um divórcio":

O Google gosta de um texto bem estruturado

Essas respostas são precisas porque conseguiram informações úteis de textos bem escritos e que usaram técnicas de SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca) para estruturá-las.

Escrever um texto com informações relevantes e manter boas práticas de SEO em seu site ou blog são o caminho para os algoritmos do Google reconhecerem e distribuírem o seu conteúdo em posições de destaque.

SEO não é só negrito e itálico

SEO tem várias facetas. Uma delas é complexa para uma pessoa sem conhecimentos de programação. Está ligada à estrutura de códigos e desenvolvimento do site. Um bom programador consegue organizar essa estrutura e deixá-la amigável para que o Google encontre as informações relevantes.

Então tenha em mente que manter as suas postagens em sites e plataformas amigáveis - como é o caso do Jusbrasil - é melhor do que criar um site próprio sem nenhuma estrurura de SEO.

Como falei, as ideias precisam ser bem organizadas e é aí que entram duas questões básicas: estruturação do texto e escolha das palavras-chaves.

Use palavras-chave com naturalidade

Não fique neurótico com palavras-chave. Você pode escrever o seu texto inteiro só repetindo a mesma palavra e ainda assim isso não significa que ele responde as questões do leitor. É nisso que você tem que se concentrar, explicar e dar respostas e informações novas.

Mas não se esqueça de escolher temas específicos e pouco explorados. É possível usar algumas ferramentas para isso, como o Google Trends.

Aplique a regra dos 3 C's: clareza, concisão e contexto

A maioria dos textos ruins têm três características:

  1. Usam palavras e conceitos vagos que nunca se explicam.
  2. Tem sentenças e parágrafos longos.
  3. Dão muita informação que não contribui em nada para esclarecer a questão a que se propôs.

Resolver esses problemas é muito simples:

Para começar, seja breve. Escreva parágrafos e sentenças objetivos. Corte palavras desnecessárias - por incrivel que pareça elas se reproduzem muito rápido. Quanto menores e mais simples forem as palavras que você usar, melhor.

A maioria dos advérbios e adjetivos são desnecessários e palavras como "destarte" e "não obstante" soam inteligentes mas são um pesadelo para a compreensão da mensagem.

Concentre-se em explicar o que você se propôs. Eu me canso de ver textos que são escritos sem nenhum objetivo claro. O autor usa um monte de palavras e termos difíceis mas não consegue explicar nada. Ele dá uma volta, diz que vai explicar, e por mais que as palavras estejam lá ele não consegue dizer nada.

Uma boa maneira de controlar esse problema é criando uma frase bem definida e conclusiva que vai permear todo o texto. Sempre que você começar a fugir do assunto e inserir informações irrelevantes, você vai se tocar e voltar para o que importa.

Por exemplo, a frase que me controla enquanto escrevo este artigo é "O Google prefere um texto útil e organizado", as informações que não tiverem relação com esse contexto eu deleto.

Separar o texto em seções ajuda ao leitor a se localizar e identifica que as informações naquela parte estão estruturadas em torno de um propósito e uma ideia. Por isso, usar o destaque no cabeçalho (header) ajuda bastante.

Escrever bem te coloca nos trilhos

Há um ano eu e Mariana Gonçalves começamos algumas turmas de um curso para falar sobre sobre escrita e produção de conteúdo. Nesse processo eu fui desafiado a estruturar tudo o que eu sabia e pesquisar ainda mais.

Enquanto eu estudava e preparava as aulas, os pensamentos ficavam mais claros para mim e eu conseguia organizar as explicações de forma mais objetiva e concisa. Isso me fez perceber que eu realmente gostava daquele assunto e as coisas fluiram bem melhor.

Com o tempo, percebi que quanto mais eu explicava e escrevia sobre o assunto, mais pessoas me procuravam querendo entendê-lo. Aquilo me forçou a estudar mais ainda e a estruturar uma forma de manter a frequência e atualização.

Recebi várias mensagens de advogados. Eles perceberam que à medida que escreviam com mais simplicidade e organização, acabavam quebrando uma barreira com potenciais clientes. À medida que eles produziam conteúdo relevante, as pessoas o procuravam porque eles pareciam menos complicados e mais acessíveis.

Além do mais, o Google dava uma ajudinha. Os textos mais lidos são sempre de dois tipos: ou viralizam ou têm conteúdo relevante e são indexados em boa posição no Google.

Aprender a organizar o texto é um desafio e tem outras facetas que não caberiam nesse texto. Mas acho que você já pode fazer esse exercício. Organize suas ideias e escreva.

* Imagem: Unplash


Originalmente publicado aqui

6 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Seus texto são sempre excelentes Mateus Galvão; nos ensina muitos; obrigada por compartilhar.
Tenha um bom final de semana continuar lendo

É isso aí!
Não devemos escrever para o Google ou para outro advogado... temos que saber quem é o nosso público alvo. continuar lendo

E os erros de português? Acho que são cometidos, principalmente por falta de revisão. Por exemplo, "À medida que eles produziam conteúdo relevante, as pessoas o procuravam porque eles pareciam menos complicados e mais acessíveis." O certo seria "À medida que eles produziam conteúdo relevante, as pessoas os procuravam porque eles pareciam menos complicados e mais acessíveis." Faltou um simples s que a revisão não deixaria escapar. A ferrramenta do Google, que não distingue letras maiúsculas de minúsculas certamente deixaria escapar. Fica a pergunta então: A gramática perdeu a importância? Não será que a obediência a ela ajuda a cumprir as metas que o autor propõe? O Professor Hélio Alonso costumava a lecionar aos vestibulandos de então: Períodos simples, orações absolutas. Evitem as vírgulas. Isso não continua válido? continuar lendo

Grata por seu texto e explicação! continuar lendo