jusbrasil.com.br
22 de Outubro de 2021

Você entrega o conteúdo certo para o seu leitor?

Comunidade Jusbrasil
Publicado por Comunidade Jusbrasil
há 7 meses

Olá, Comunidade! Antes de tudo, deixem eu me apresentar. Sou o Gabriel Benigno, um dos novos Moderadores da Comunidade Jusbrasil. Ok, não tão novo assim... já apareci por aqui e acolá, mas de agora em diante vou botar mais as caras por aqui.

Hoje vim ajudar você que já sentou em frente ao computador decidido que entraria no mundo do marketing jurídico. Muito provavelmente, com uma xícara de café ao lado e as mãos repousando sobre o teclado, você travou e pensou: sobre o que vou escrever?

Não há dúvidas que a escolha do tema é fundamental para o seu conteúdo, mas o que pouco se pensa de verdade é na estratégia. Ou seja, antes do tema, devemos nos perguntar para quê, ou melhor, para quem vou escrever.

Definindo um objetivo

Ter uma meta é o primeiro passo a se tomar. Da mesma forma que o Exame da OAB e uma vaga na Magistratura são objetivos diferentes e precisam de estratégias de estudo diferentes, é preciso que você estabeleça seu objetivo com a produção de conteúdo e foque no tipo (ou tipos) de conteúdo ideal para atingi-lo.

Existem uma série de razões para investir tempo e estudo na produção de conteúdo para web. Por exemplo:

  • Conquistar novos clientes ao criar visibilidade;
  • Criar um cartão de visitas online, através da presença digital;
  • Entregar informação relevante para pessoas que precisam dela.

Qualquer que seja seu objetivo, uma coisa é fato: você escreve conteúdo para os leitores. Por isso, é indispensável que o seu leitor enxergue a relevância que o conteúdo traz.

O desafio está em despertar o interesse desse leitor. Mas afinal, você sabe quem é esse leitor? Você entrega o conteúdo certo para ele?

Definindo a persona

Objetivo e persona estão intimamente ligados. Quando você produz algo, é inevitável que a primeira intenção seja alguém consumir esse conteúdo. O que ocorre é que esse leitor só vai ler o que é de interesse dele.

Portanto, compreender o seu leitor é essencial para que a entrega da informação seja efetiva.

O ideal é entender a diferença entre público-alvo e persona, e entender quando usar essas definições na hora de começar a escrever.

Público-alvo

Público-alvo é uma descrição mais generalista da pessoa que você quer atingir. Características como profissão, idade e renda são comuns ao traçar esse perfil e permitem uma visualização macro do que deve ser feito para atingir aquele objetivo definido. A mera leitura do objetivo permite identificar o público-alvo.

Por exemplo, ao decidir que você quer conquistar mais clientes para seu escritório especializado em previdência, é possível perceber que o público-alvo é aquele que normalmente tem problemas com benefícios por incapacidade e aposentadorias.

Persona

A persona vai um pouco além. Aqui, se cria um verdadeiro personagem semifictício que além de suas generalidades, possui uma rotina, dificuldades e objetivos. Esse recurso possibilita visualizar a pessoa ideal para seu conteúdo e criar estratégias mais eficientes.

Utilizando o exemplo anterior, imagine que a sua persona se chama João, é motorista de ônibus, tem 63 anos de idade e está querendo se aposentar agora, após anos de contribuição. Agora tente mapear 3 dúvidas que João tem ao pesquisar sobre o tema na internet.

Conseguiu, né? Por isso é mais fácil desenvolver um planejamento de conteúdos quando você já identificou quem é a sua persona. Afinal, você já sabe quais são todas as dúvidas e problemas que ela possa vir a ter.

Como entregar o conteúdo certo para meus leitores?

Com o objetivo e a persona que você tem que alcançar em mente, é hora de pensar em qual o melhor tipo de conteúdo. Vou te apresentar alguns exemplos de personas e tipos de conteúdos que casam muito bem.

Público leigo

Não são pessoas do mundo jurídico e irão sentir dificuldades para entender os termos e significados próprios que a área tem. Portanto, pode parecer clichê, mas fuja do juridiquês!

Parece óbvio, mas o que não percebemos é que palavras mais comuns na nossa área, como jurisprudência e liminar, podem atrapalhar a compressão do leitor.

Explicar cada palavrinha é essencial para aproximar o leitor do seu conteúdo. É com essa transparência na informação que uma pessoa que não entende o mundo jurídico pode ter seu problema sanado.

Investir em artigos explicativos, vídeos e infográficos também são uma ótima forma de criar uma comunicação acessível para o seu público.

Uma outra dica é pensar em criar conteúdos que não pereçam, os chamados evergreens. Isso quer dizer que o conteúdo não perde relevância com o passar do tempo. Mas como faz isso? Utilizando o mesmo exemplo usado acima, todo ano vão ter pessoas se aposentando, e todo anos as mesmas dúvidas de aposentadoria vão surgir, só que em pessoas diferentes. Aqui um exemplo de conteúdo evergreen.

Lembrando que para um conteúdo permanecer relevante ao longo do tempo, é importante que ele esteja sempre atualizado.

Estudantes

Os acadêmicos estão aprendendo, mas ainda não sabem tudo. É difícil de saber em qual período o estudante está, então é bom tomar cuidado ao assumir algumas teorias e conceitos como de conhecimento comum.

Por conta da própria natureza das Universidades, artigos científicos são bem vindos para esse público, mas não são absolutos.

Resumos de temas, fichamentos, esquemas e qualquer tipo de conteúdo organizado com fim revisional é bastante interessante, pois muitas vezes os estudantes procuram sínteses na internet para auxiliar seus estudos. As ferramentas de edição auxiliam na construção desses textos esquematizados, não esqueça!

No mesmo sentido, as questões comentadas são uma boa forma de conquistar a atenção do estudante.

Por fim, uma parcela considerável dos estudantes são jovens. Isso quer dizer que conteúdos interativos podem funcionar muito bem! Vídeos e podcasts são formas descontraídas e agregam muito valor para quem os consome, porque permite que a pessoa os consumam mesmo quando já está cansado de ler. Aposte neles!

Profissionais do Direito (advogados, pesquisadores, professores, servidores públicos, etc.)

Agora, já não é mais necessário explicar o básico. Entretanto, é preciso muito cuidado ao escrever para esse público mais maduro.

O advogado com 20 anos de experiência, ou o promotor que estudou 5 anos para o concurso e já passou por 5 promotorias não quer saber o óbvio. Explicar um conceito comum é interessante só quando há divergências doutrinárias e você adotou uma posição distinta da majoritária, por exemplo.

Se atentar às referências é outro pilar deste e de qualquer conteúdo. Explicar qualquer coisa e não expor quais fontes de pesquisa foram usadas na construção do seu raciocínio afasta a credibilidade do seu conteúdo.

Como esse público já detém o conhecimento, um bom conteúdo para elas são as análises jurídicas e as notícias comentadas. Essas publicações estimulam os debates e são bastantes convidativas. Tem algo mais tentador que dar sua opinião sobre o assunto do momento? Se você tiver dúvidas disso, lembre do jargão por amor ao debate.

Lembre do básico!

Independente de quem seja o seu leitor, algumas características são essenciais para todos os conteúdos. Títulos coerentes e que correspondem ao conteúdo, boa formatação (uso das ferramentas do editor), e adição de referências são alguns itens indispensáveis.

E para todos os tipos de conteúdos, lembre-se: conteúdo bem aprofundado é um conteúdo relevante! Não tenha medo de esgotar todos os tópicos de um tema.


Tinha algo no texto que você não sabia ou praticava? Conta para a gente nos comentários! E surgindo qualquer dúvida ou sugestão de tema, pode compartilhar com a gente ou falar diretamente comigo.

Até a próxima! :-)

10 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Ótimas dicas. Muito obrigado!! continuar lendo

Valeuzão meu nobre! Espero ver você aplicando essas dicas em breve ;) continuar lendo

Maravilha! Palavra de quem entende! Ajudou e muito! Abraços! continuar lendo

Excelente texto e dicas, @gabenigno!

Obrigado! continuar lendo

Que é isso amigo, eu que agredeço por ter lido! Espero que as dicas ajudem aí no seu podcast. Inclusive, qualquer dia desses a gente vê de fazer uma live sobre trabalhista, topa? continuar lendo

ficarei muito grato por ser atendido e bem informado sobre as questões na qual tenho dúvidas continuar lendo