jusbrasil.com.br
5 de Março de 2021

Os artigos informativos mais consumidos do Jusbrasil usam esses recursos

Comunidade Jusbrasil
Publicado por Comunidade Jusbrasil
há 3 meses

magnifying glass on white table

Vou ser bem direto e transparente: você pode estudar todas as técnicas possíveis de otimização para mecanismo de busca (conhecidas como SEO), mas nada se compara a ter acesso aos padrões presentes nos conteúdos que as pessoas consomem e poder mergulhar neles.

Tivemos acesso aos textos mais consumidos do Jusbrasil e documentamos os padrões. Vamos te mostrar o que encontramos, mas antes precisamos esclarecer uma coisa:

Existem vários tipos de conteúdo na internet. Notícas, artigos informativos, opinativos, análises extensas, artigos acadêmicos e científicos, receitas, instruções. Neste post vamos tratar dos artigos informativos. Eles são os artigos que mais atraem os leitores e leitoras do Jusbrasil, então vale a pena focar neles, caso esse tipo de conteúdo atenda a sua estratégia na web.

O que é um artigo jurídico informativo?

Um artigo informativo explica em detalhes algum assunto, procedimento, conceito ou situação. Ele decompõe um tópico em perguntas mais específicas para que alguém consiga compreendê-lo.

Separamos os 100 artigos explicativos mais consumidos no Jusbrasil nos últimos 6 meses e observamos alguns padrões. Ah, e quando eu digo mais consumidos eu não quero dizer apenas "mais visitados". Quero dizer que levamos em considerações ações mais significativas como quantidade de salvamentos e compartilhamentos.

Sem mais rodeios, vamos ao que interessa!

tulo claro e atrativo

Eu sempre me pergunto por que alguém escolheria um título vago e impreciso para suas publicações. A minha hipótese mais forte é que quem faz isso não tem muita ideia do que deseja escrever ou explicar. Logo, há grandes chances de o seu texto, também, não conseguir transmitir um ponto.

Se você consome nossos conteúdos já deve estar careca de saber disso. Nós sempre repetimos... E muitas pessoas continuam cometendo o mesmo deslize. Então vale falar mais uma vez.

Pense no exemplo de um título "Embargo à execução". A menos que este seja um resumo ou esquema acadêmico que detalhe as nuances do assunto para um estudante ou profissional do direito que esteja buscando esta explicação, essa não é uma prática indicada para artigos informativos. Mas ainda se fosse um resumo ou esquema acadêmico, eu usaria "Embargo à Execução Sistematizado" ou "Embargo à Execução Resumido" para especificar.

Mas o ponto aqui é outro. Seja lá qual for o nível de experiência de quem esteja procurando uma informação, o mais comum é que a pessoa não tenha em mente a resposta ou a solução precisa para o seu problema. O que ela tem é uma pergunta.

Para ilustrar melhor, vejamos alguns exemplos de títulos de textos que estão entre os mais consumidos do Jusbrasil.

  • Comentários à Lei da Pandemia: Lei 14.012/2020
  • Justificativas que afastam a Prisão Civil do devedor de pensão alimentícia - Acolhidas pelos Tribunais

Por trás desses títulos existem duas perguntas bem claras:

  • O que "diz" a Lei da Pandemia?
  • O que pode afastar a prisão de quem deve pensão alimentícia.

Para escolher o título ideal para o seu texto, começe pela pergunta. Aliás, faça isso antes mesmo de começar a escrever. Você vai saber exatamente que informação precisa incluir para esclarecer um assunto, não vai divagar e vai dar ao seu texto o tamanho adequado naturalmente. Seus leitores e leitoras agradecem.

Cabeçalho para estruturar a informação

Já falamos outras vezes sobre como as pessoas leem na internet. Na verdade elas não leem tudo, mas passam o olho rapidamente pelo conteúdo para ver se ele tem a informação específica e detalhada sobre o que ela precisa.

Só então elas decidem se leem tudo (ou uma boa parte dele) e se aquele conteúdo é útil (salvando-o como favorito, por exemplo).

Daí a importância de dividir o texto em seções e, para isso, usar o recurso de cabeçalho. O cabeçalho ou header são esses textos com tamanho diferenciado e mais destacado que separam o texto em partes. São como os tópicos de uma monografia.

Usá-los é uma forma de fazer as pessoas notarem a informação e conseguir identificá-la de forma fácil.

Os mecanismos de busca usam esse recurso para encontrar a informação e pontuar o seu texto, mas lembre-se, o que importa são os leitores e leitoras. Os mecanismos de busca também sabem disso.

Negrito em definições ou palavras-chaves

Usar negrito em definições ou palavras-chaves é muito importante pelo mesmo motivo. Você dá destaque a termos que contextualizam a sua abordagem.

Quando as pessoas passarem o olho pela sua publicação, elas saberão do que se trata e se a informação que elas precisam podem, potencialmente, estar ali. Não há muito segredo.

Para vocês terem uma noção, 88 entre os 100 textos mais salvos do Jusbrasil aplicaram o recurso de negrito em palavras importantes.

Use com moderação, afinal, usar no lugar errado ou em grandes trechos pode ter o efeito contrário e espantar as pessoas.

Listas para sistematizar ou sintetizar uma informação

Vou te dar 5 motivos para você usar listas:

  • São fáceis de ler.
  • Elas se destacam entre o conteúdo.
  • Vão direto ao ponto.
  • O cérebro humano adora algo que organize e sintetize a informação.
  • Elas despertam a curiosidade.

Não preciso dizer muita coisa.

Referências: de onde veio tanta informação?

A menos que você esteja escrevendo uma ficção - e talvez nem mesmo assim - nenhuma ideia ou explicação vem do nada. Até mesmo um experimento científico exige uma observação cautelosa e deve ser descrito para que as pessoas reconstituam o feito.

A partir do momento em que você inclui as referências que usou para encontrar a informação que está ali, permite que qualquer pessoa reconstrua o seu raciocínio e verifique se a fonte que você usou também foi criteriosa na construção do raciocínio dela.

E as pessoas precisam disso.

Já explicamos neste artigo aqui como são os melhores jeitos de fazer isso.

  • Adicionando notas ao final do texto (pode ser como na regra da ABNT, mesmo).
  • Usando a ferramenta de hiperlink em trechos específicos para indicar de onde aquela informação foi retirada.

Possuem mais de 1000 palavras

Embora extensão não seja uma garantia de qualidade, artigos mais longos podem indicar um trabalho mais minucioso de apresentação e escolha das informações.

Entre os 100 artigos mais consumidos do Jusbrasil, setenta usaram mais de mil palavras.

Eles detalhavam procedimentos, passoapassos, conceitos. Mas como falei, tamanho só se justifica se houver profundidade.

Profundidade é a capacidade de prover uma quantidade satisfatória de informações que solucione uma necessidade ou questão específicas. (veja mais sobre ela, neste artigo).


Se você quer que as pessoas valorizem seu conteúdo e, com isso, reconheçam a sua autoridade no assunto, nada melhor do que assimilar e tentar por essas dicas em prática. Você só tem a ganhar com isso. Seu público e a comunidade como um todo, também.

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Sensacional, Matheus.

Parabéns pela didática utilizada e por nos auxiliar a transmitir o conhecimento para os que não possuem acesso a informação. continuar lendo

Muito esclarecedor. Tenho publicado meus artigos da forma indicada neste texto e espero que em breve eles sejam publicados na Newsletter do JusBrasil. continuar lendo

Excelentes dicas. Muito obrigada por compartilhar! continuar lendo

Legal. Boas dicas! continuar lendo